Renault Kwid e Sandero: quem vence a briga de irmãos?

O modelo maior, renovado, custa pouco mais que o menor: saiba o que se ganha e se perde escolhendo um ou outro

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

A situação acontece em muitos fabricantes. Você escolhe um modelo que atende a suas necessidades, mas se depara no saguão da concessionária com um mais espaçoso e confortável por pouco dinheiro a mais. E agora? Se escolher o maior, ganharei algo além do espaço? Terei alguma desvantagem, à parte a financeira? Em busca dessas respostas, colocamos em Desafio os modelos 2020 do Renault Kwid, na nova versão Outsider (preço sugerido de R$ 45 mil), e do remodelado Sandero em acabamento Zen (R$ 50 mil), ambos com motor de 1,0 litro.

 

Versão Outsider traz visual diferente ao Kwid, que parece um Sandero menor; neste, as lanternas traseiras com leds e extensão na tampa são a maior novidade

 

Estilo
Os dois modelos seguem linhas simples, que não causam paixão nem desagradam. O Kwid é mais recente, mas não mais moderno, lembrando um Sandero comprimido. A versão Outsider consegue bom efeito com para-choque dianteiro revisto e barras de teto (que trazem aviso para não se colocar carga), além de calotas e retrovisores em preto. No Sandero a frente mudou pouco e a traseira algo mais, com lanternas de leds, que a nosso ver não combinam bem com o conjunto.

 

 

Acabamento e conveniência
Os interiores usam plásticos rígidos e tecidos simples nos bancos, mas com certos cuidados para boa aparência — mais alegre no Outsider, com detalhes em tom laranja, e sóbrio no Sandero, com itens em prata. Em itens de conveniência, vantagens do Kwid são ajuste elétrico dos retrovisores, alças de teto traseiras (o Sandero não tem mais nenhuma), aviso para uso de cinto também para o passageiro da frente e câmera traseira de manobras.

 

Acabamentos são simples, mas com detalhes para melhor aparência; posição do motorista é bem melhor no Sandero, tanto pelo banco quanto pelos ajustes

 

O Sandero responde com ar-condicionado menos ruidoso, comando satélite do sistema de áudio junto ao volante, controle elétrico de vidros dianteiros com função um-toque e comandos nas portas (no Kwid vêm no painel), espelho também no para-sol do motorista, marcador de temperatura externa, mola a gás para sustentar o capô, sensores de estacionamento traseiros e travamento das portas ao rodar — falta incômoda no Kwid. Ambos têm boa central de áudio com tela de 7 polegadas e integração a celular por Android Auto e Apple Car Play, mas no Kwid a qualidade de som é baixa por haver alto-falantes só no painel.

 

No Sandero o motorista dispõe de banco mais amplo, confortável e com ajuste de altura; ele é também um dos hatches pequenos mais espaçosos, o oposto do Kwid

 

Posto do motorista
As vantagens do Sandero começam por aqui. O motorista dispõe de mais espaço, banco mais amplo e confortável e ajuste de altura do assento e do volante, embora falte aos dois modelos a regulagem do volante em distância. O Kwid tem posição até bem definida para um carro tão pequeno, mas sua largura diminuta deixa a coluna central rente ao ombro e os dois ocupantes bem próximos, tem banco muito compacto e faz sapatos maiores pegarem na haste do pedal de freio.

 

Boa central de áudio com integração a celular nos dois; câmera traseira e retrovisores elétricos no Kwid; comando satélite de áudio, controles de vidros nas portas, espelho para motorista e sensores de estacionamento no Sandero

 

Os instrumentos simples incluem computador de bordo com trajeto único; apenas o Sandero tem termômetro do motor. Seus faróis de duplo refletor são melhores e há luzes diurnas de leds, enquanto o Kwid traz faróis de neblina. Faltam a ambos os repetidores laterais das luzes de direção. Nos dois a visibilidade dianteira tem ligeiro prejuízo pelas colunas, e a traseira, grande perda.

 

 

Espaço interno
Como esperado, não há comparação nesse quesito. O Sandero é um dos hatches pequenos mais espaçosos, com ampla acomodação para pernas e cabeças e boa largura para o segmento. No Kwid apenas o espaço vertical dianteiro satisfaz: o banco traseiro é apertado para pernas e ombros (razoável em altura) e, ao entrar, um adulto precisa abaixar a cabeça e dobrar o pé.

 

Sandero tem clara vantagem em espaço à frente ou atrás, além de cinto de três pontos para os cinco ocupantes; já a capacidade de bagagem é semelhante

 

Porta-malas
Para surpresa de muitos, a capacidade de bagagem do Kwid (300 litros) fica perto daquela do Sandero (320), ambas entre as melhores em hatches pequenos. Os dois usam banco traseiro inteiriço e estepe com medida integral. O comando da tampa é elétrico por botão no painel, na chave ou, no caso do Sandero, pelo emblema Renault. Uma falha em comum é a chapa desprotegida na base de acesso.

Próxima parte

 

Preços

Kwid Sandero
Sem opcionais R$ 44.990 R$ 49.990
Como avaliado R$ 44.990 R$ 49.990
Completo R$ 46.440 R$ 51.490
Preços sugeridos em 6/9/19 para São Paulo, SP; apenas o preço completo inclui pinturas especiais; menores preços em destaque

 

Equipamentos de série e opcionais

• Kwid Outsider – Abertura elétrica do porta-malas, ajuste elétrico dos retrovisores, ar-condicionado, barras de teto, bolsas infláveis laterais dianteiras, câmera traseira de manobras, central de áudio com tela de 7 polegadas e integração a celular, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, direção com assistência elétrica, faróis de neblina, fixação Isofix para cadeira infantil, indicador de troca de marcha.

• Sandero Zen – Abertura elétrica do porta-malas, ajuste de altura do banco do motorista e do volante, ar-condicionado, bolsas infláveis laterais dianteiras, central de áudio com tela de 7 pol e integração a celular, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, direção com assistência eletro-hidráulica, fixação Isofix para cadeira infantil, indicador de troca de marcha, luzes diurnas de leds, sensores de estacionamento na traseira.

• Garantia – Três anos ou 100 mil km (o que ocorrer primeiro).

Próxima parte