Sentra vs. Corolla: em comum, muito mais que o CVT

Nissan Sentra vs. Toyota Corolla

 

Há mais semelhanças entre os médios da Nissan e da Toyota que o câmbio de variação contínua, mas qual deles é a melhor escolha?

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Em um dos segmentos do mercado nacional que mais se movimentaram de um ano para cá — o dos sedãs médios —, dois competidores apresentam-se em novas gerações com elementos em comum. Embora muitos vejam no Honda Civic o eterno arquirrival do Toyota Corolla, o fato é que eles almejam públicos diferentes, um mais jovem e interessado em esportividade, outro mais tradicional e focado em conforto. Por isso, quando chegou o novo Corolla para avaliação, fomos buscar outro oponente que se identificasse mais com sua proposta. E chegamos ao Nissan Sentra.

Além de identificados entre si na forma como interpretam o conceito de sedã médio, eles são adversários diretos nos “quatro Ps” que norteiam nossas comparações. Seguem a mesma proposta de uso  de sedãs quatro-portas com espaço, conforto e desempenho apropriados tanto para o dia a dia quanto para viagens em família. Em porte  há um empate como raramente se vê: ambos medem 4,62 metros de comprimento e 2,70 m de distância entre eixos.

 

Nissan Sentra SL
Toyota Corolla XEi

 

Nissan Sentra SL

Toyota Corolla XEi

4,62 m 4,62 m
140 cv 143/154 cv
R$ 75.490 R$ 81.480
Preços públicos sugeridos, em reais, para os carros avaliados, com possíveis opcionais

 

 

A versão mais vendida do Corolla, a XEi, tem motor de 2,0 litros e quatro válvulas por cilindro e agora usa câmbio automático de variação contínua (CVT). O mesmo vale para o Sentra, que recebemos na versão de topo SL, aquela que mais se aproxima do concorrente em preço.  O primeiro custa R$ 81.480, e o segundo, R$ 75.490, ambos em pacotes fechados que não oferecem opcionais.  A potência  dos motores é bem próxima com gasolina (143 cv no Corolla, 140 cv no Sentra), mas o Toyota ganha 11 cv e chega a 154 ao usar álcool, enquanto o Nissan mantém o valor declarado qualquer que seja o combustível.

São R$ 6 mil ou 8% a mais para comprar o Corolla, diferença que não pode ser desconsiderada. E vale pagar mais por ele? É o que fomos buscar saber.

Próxima parte