Logan vs. Etios vs. Voyage: como o brasileiro gosta

Logan vs. Etios vs. Voyage

 

Com projetos simples, esses sedãs compactos concorrem por
sua preferência com diferentes qualidades na faixa até R$ 50 mil

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Sedãs compactos são, por definição, um tipo de carro para países emergentes. O dito Primeiro Mundo costuma optar pela praticidade e eficiência dos hatchbacks e das peruas ou, no caso dos Estados Unidos, praticamente começa seu leque de sedãs naqueles que chamamos de médios. Vez ou outra aparecem sedãs de pequeno porte por lá, mas uma participação de mercado expressiva eles só alcançam em países como… o Brasil.

Aqui eles são a solução para muitas famílias: por valores pouco mais altos que os dos hatches, oferecem amplo espaço para bagagem — não raro, mais que em sedãs médios e até grandes. Nos últimos anos, em vez de apenas acrescentar um porta-malas saliente aos modelos de dois volumes, os fabricantes têm desenvolvido sedãs com maior distância entre eixos a fim de ampliar também o espaço para os passageiros. Hoje é possível acomodar-se em um sedã compacto quase tão bem quanto em um médio.

 

Renault Logan Dynamique
Toyota Etios XLS
VW Voyage Selecao

 

Renault Logan Dynamique

Toyota Etios XLS

Volkswagen Voyage Seleção

4,35 m 4,26 m 4,21 m
98/106 cv 92/96,5 cv 101/104 cv
R$ 44.250 R$ 46.890 R$ 50.602
Preços públicos sugeridos, em reais, para os carros avaliados, com possíveis opcionais

 

O Renault Logan, pioneiro desses “pequenos crescidos”, ganhou a oposição de modelos como Chevrolet Cobalt, Fiat Grand Siena, Nissan Versa e Toyota Etios sedã. Incomodada em sua zona de conforto, a marca francesa decidiu adotar na linha 2014 brasileira as formas bem mais atuais e atraentes que haviam sido apresentadas um ano antes na Europa, onde em alguns países o Logan é vendido pela marca romena Dacia.

A chegada do novo Logan é o momento para verificar suas chances nesse renovado segmento. Para a competição com a versão de topo da Renault, a Dynamique, chamamos o Etios — ainda não avaliado como sedã — em seu acabamento XLS e o Volkswagen Voyage — em série limitada Seleção —, que não passava por nossa análise havia bons anos. Tanto o Grand Siena quanto o Versa são praticamente os mesmos do comparativo de 2012. Quanto ao Cobalt, vale explicar ao leitor não habitual que a General Motors há anos não mais cede carros para avaliação do Best Cars.

 

 

Os três modelos são concorrentes diretos nos quatro “Ps” que norteiam nossos comparativos. Sua proposta de uso  é a mesma: sedãs compactos de quatro portas com espaço e desempenho adequados tanto ao uso urbano quanto às viagens em família, ainda que sem excessos, como se espera dessa faixa de mercado. Em porte,  a variação chega a 13 centímetros em comprimento, o que os mantém no mesmo segmento, enquanto o entre-eixos varia 17 cm entre o menor VW e o maior Renault.

A potência  oscila pouco entre o mais modesto Etios (96,5 cv) e o líder Logan (106 cv), com Voyage (104 cv, todos com álcool) no meio-termo, em motores de 1,5 litro no Toyota e 1,6 nos demais, com quatro válvulas por cilindro apenas no primeiro. Quanto ao preço, o Etios XLS não oferece opcionais e custa R$ 46,9 mil; o Logan Dynamique começa em R$ 42,1 mil, mas chega a R$ 44,2 mil com opções; e o Voyage Seleção parte de R$ 43,8 mil e alcança R$ 50,6 mil como avaliado.

Os mais caros valem realmente mais? Respostas a partir da próxima página.

Próxima parte