Cinco SUVs em confronto: defina suas prioridades

Tracker
Tracker
HR-V
HR-V
Renegade
Renegade

 

Todos estão disponíveis no Brasil com o mesmo desenho que têm no exterior; o Tracker é o único já reestilizado; nosso Captur segue o russo, não o francês

Kicks
Kicks
Captur
Captur

 

Concepção e estilo

O Kicks foi o único deles lançado em primazia no Brasil, embora fabricado no México. É o mais recente também em termos mundiais: o Captur em versão maior apareceu no ano passado na Rússia, mas repete o desenho básico do produzido desde 2013 na França; do mesmo ano são o HR-V no Japão (onde se chama Vezel) e o Tracker (denominado Trax em alguns mercados), enquanto o Renegade surgiu em 2014 na Europa. O Chevrolet foi o único já reestilizado.

O Honda e o Nissan são um tanto parecidos em desenho, pela profusão de arestas e vincos aplicados a um formato mais para hatch médio que para utilitário esporte — certamente uma estratégia para angariar compradores desse segmento, hoje em declínio no Brasil. O segundo, a nosso ver, ficou exagerado em detalhes na parte traseira e pode cansar com rapidez.

 

Tracker
Tracker
HR-V
HR-V
Renegade
Renegade

 

Diferentes estilos: mais para hatch no HR-V e no Kicks, mais para perua no Captur, com elementos nostálgicos no Renegade

Kicks
Kicks
Captur
Captur

 

O Renegade segue outra linha, inspirada nos Jeeps do passado e no atual Wrangler, com formas mais retas, faróis circulares, vidros mais verticais e ênfase no aspecto robusto sobre a esportividade. É também o formato escolhido para o Tracker, mas a GM optou por linhas modernas, sem influências do passado. O Captur, por sua vez, tem o estilo mais arredondado do grupo, típico dos franceses, e formato mais para perua.

 

Os sistemas de áudio usam tela de 6,5 ou 7 pol; no Honda há entrada HDMI; nele e no Chevrolet pode-se espelhar telefone por Android Auto e Apple Car Play

 

Apenas dois modelos têm o coeficiente aerodinâmico (Cx) divulgado, o Kicks com 0,34 e o Renegade com 0,36, resultados satisfatórios para o tipo de veículo. Os vãos entre painéis de carroceria são mais estreitos no HR-V (o melhor em sua regularidade), no Captur e no Tracker (não todos). Os do Kicks, bons em geral, são irregulares nas portas dianteiras.

 

Conforto e conveniência

Uma das boas impressões causadas pelo Kicks é pelo interior, com cuidados no aspecto e materiais compatíveis com sua faixa de preço — caso dos plásticos que, mesmo rígidos, conseguem boa aparência. O mesmo vale para o Renegade, mas não para o HR-V (um tanto espartano), o Tracker (refinado em alguns aspectos e bem simples em outros, caso das portas com forro todo de plástico) e o Captur (elaborado no desenho, mas com plásticos que deixam evidente sua simplicidade). Eles usam revestimento em couro nos bancos e no volante e, salvo o Chevrolet, aplicação macia nos apoios de braço das portas dianteiras.

 

Tracker
Tracker
HR-V
HR-V
Renegade
Renegade

 

Bancos dianteiros e acabamento agradam mais no Nissan e no Jeep, este também com o maior volume de informações nos instrumentos; posição do Chevrolet não combina com pedais

Kicks
Kicks
Captur
Captur

 

Os bancos dianteiros são outra agradável surpresa do Nissan, muito bons em formato, densidade de espuma e apoios laterais: nem parece o mesmo fabricante do March com seus bancos lamentáveis. Os competidores ficam pouco atrás. A gama de ajustes de volante e banco é equivalente, salvo pelo Captur, cujo volante é fixo em distância. Positivo do Tracker é o ajuste (elétrico) de apoio lombar do motorista, único no grupo, mas o banco alto na seção frontal deixa os pedais baixos e o pé direito em posição antinatural — mal que a GM carrega desde Zafira e Meriva. O volante algo enviesado do HR-V não chega a causar desconforto. A reclinação do encosto é por alavanca em pontos predefinidos em todos.

 

 

No quadro de instrumentos, o lado esquerdo do Kicks é uma tela configurável entre conta-giros, repetidor digital de velocímetro (que Tracker e Renegade também têm; o do Captur é apenas digital), computador de bordo e informações de áudio e dos controles eletrônicos de chassi. É uma boa ideia, mas mal executada, pois não há como exibir duas ou mais funções em simultâneo. No espaço central, em vez do indicador de posição da transmissão, seria melhor inserir o velocímetro digital para que aparecesse em simultâneo ao conta-giros, como nos dois citados.

Informações que só o Renegade traz em uma tela colorida são pressão dos pneus, tensão da bateria e temperaturas de óleo lubrificante e da transmissão. O Tracker registra a vida útil restante do óleo do motor, com base em algoritmo que considera o perfil de uso (condições mais severas abreviam a indicação). Este, o Captur e o HR-V não têm termômetro do motor, que alguns apreciam, apesar da pouca utilidade nos carros atuais; há luz-piloto também para motor frio, salvo no Chevrolet. O computador de bordo do Tracker e do Renegade tem duas medições, mas falta ao Jeep e ao Honda mostrar velocidade média.

 

Tracker
Tracker
Tracker
Tracker
HR-V
HR-V
HR-V
HR-V
Renegade
Renegade
Renegade
Renegade
Kicks
Kicks
Kicks
Kicks
Captur
Captur
Captur
Captur

Todos são altos o bastante por dentro, mas atrás o Captur acomoda melhor em largura e o HR-V é mais espaçoso para as pernas

 

Os sistemas de áudio usam tela sensível ao toque de sete polegadas (salvo o Jeep, que tem de 6,5 pol) e trazem conexões USB (duas no HR-V e no Renegade), auxiliar e Bluetooth. Apenas no Honda há entrada HDMI; nele e no Chevrolet pode-se espelhar telefone pelas plataformas Android Auto e Apple Car Play. Tracker, Renegade e Captur permitem usar o áudio com a ignição desligada, mas não têm toca-CDs. Com o conjunto opcional Beats, o Jeep oferece a melhor qualidade de áudio, seguido pelo Chevrolet; a pior é a do Honda, com graves bastante fracos.

Todos trazem alguma forma de navegador. Em vez do mapa no aparelho como os demais, o Tracker dispõe da central de assistência On Star: por meio da linha telefônica do carro, informa-se o destino desejado a um atendente por sistema viva-voz. A rota é então enviada para o automóvel, que a informa por voz e setas indicadoras na tela, sem mapa — tal e qual o navegador do Fiat Linea 2008, primeiro em carro nacional. Não nos parece a melhor solução. Fica mais prático quando se inserem destinos favoritos, que dispensam o contato com a central.

Próxima parte

 

Tracker
Tracker
HR-V
HR-V
Renegade
Renegade

 

Telas de 6,5 ou 7 pol controlam os sistemas de áudio; Tracker e HR-V espelham celular por Android Auto ou Car Play; no Chevrolet a navegação é acionada pela central do sistema On Star, gratuito apenas no início

Kicks
Kicks
Captur
Captur

 

Detalhes de conveniência

Tracker HR-V Renegade Kicks Captur
Alarme volumétrico ND ND S ND ND
Alças de teto 3 3 4 3 3
Alerta de qual porta está aberta S ND S S ND
Alerta para uso do cinto (5) ND ND ND ND S
Alerta para excesso de velocidade ND ND S ND ND
Apoio de braço central dianteiro S S S ND S
Chave presencial acesso e partida S ND S S S
Comando a distância para abrir/fechar vidros S/S S/S S/S S/S ND/S
Com. elétr. freio de estac. ND S S ND ND
Comandos de voz para áudio/navegação ND/S ND S/S ND ND
Controle elétrico de vidros com função um-toque (todos) S S S S S
Duas tomadas de 12 volts na cabine ND S ND S ND
Espelhos iluminados nos para-sóis S S S ND ND
Luzes de leitura d/t S/ND S/ND S/S S/ND S/ND
Maçanetas internas cromadas S S ND S S
Mostrador de temperatura externa S S S S S
Para-brisa com faixa degradê ND S ND ND ND
Preaquec. álcool para partida ND* S S S ND
Rebatimento elét. retrovisores ND S S ND S
Retenção aut. nas paradas ND S ND ND ND
Vidros traseiros que descem 100% S ND S S ND
Convenções: S = de série; ND = não disponível; *Desnecessário pela injeção direta
Próxima parte