Evolução a olhos vistos

Clique para ampliar a imagem

Enquanto progrediam em vários aspectos, carros sul-coreanos como
o Kia Cerato adotavam estilos que despertam o desejo de compra

Texto: Edilson Luiz Vicente - Fotos: divulgação

Clique para ampliar a imagem

1) Olhando tanto de cima como de frente, é como uma única curvatura contornando toda a área frontal e os para-lamas. Difícil ver isso em um carro e, nesse caso, ficou muito bom.

2) Em muitos casos, o vinco vai até os faróis ou a grade e às vezes chega até o para-choque. Essa é uma solução interessante e que permite que a frente fique limpa com a curvatura descrita no item acima.

3) A solução trivial é o vinco da linha de cintura ter continuidade até o farol. Executado dessa forma, fugiu ao comum e criou um detalhe marcante e interessante.

Clique para ampliar a imagem

1) A coluna traseira larga e bem inclinada cria uma imagem de robustez e esportividade. Contribui fortemente para a sensação de movimento e, como tudo no desenho do carro, é simples e eficiente.

2) As lanternas têm os contornos simples e bonitos, combinando bem com todo o carro, e seu tamanho está adequado. Destaque para o desenho que forma os refletores internos, bem feito. Valoriza tanto as lanternas como toda a traseira.

3) O defletor é usado em muitos modelos de sedãs e, quando não é a própria tampa que forma o detalhe, muitas vezes aplicam-se adornos para tal aparência. É, na maioria dos casos, bem vindo e o foi também no Cerato, pois orna com o aspecto esportivo do carro.

Já estamos acostumados a ver modelos da Kia rodando pelo Brasil não é de hoje, e não se limitando aos furgões Besta que chegaram em grande quantidade na década de 1990. Para focar as observações nos antecessores do atual Cerato, nos anos 90 havia o Sephia e nos anos 2000 o Spectra, seguido pelo Cerato de geração anterior entre 2006 e 2009.

É interessante observar como antes os modelos da Kia não chamavam tanto a atenção quando passavam por nós. De maneira geral, seus automóveis não se destacavam da paisagem urbana nem provocavam aquele desejo de comprá-los. O que mudou, então?

Primeiro é a consolidação da marca no País. Como acontece com outros fabricantes, os brasileiros vão se acostumando e confiando na empresa, o que elimina pouco a pouco o fator de rejeição. Segundo é o trabalho que tem sendo feito para o crescimento global da empresa, que a está consolidando no mundo todo. O grupo Hyundai-Kia, no qual a Hyundai é a proprietária, tornou-se o quarto maior fabricante de automóveis do globo em números de vendas e desbancou a Toyota como a líder asiática em vendas na Europa.

Para ter chegado tão longe, é necessário investir muito em estratégia, qualidade, tecnologia, marketing, pós-vendas e, é claro, estilo — esse ingrediente que faz uma enorme diferença no resultado. Uma empresa pode reunir em seus produtos uma série de atributos, mas, se o desenho não agradar ao público, as vendas não alcançam o desempenho esperado. Claro que, se um carro tiver um belíssimo desenho e faltarem as demais qualidades, também terá problemas no mercado.

É nesse ponto que podemos notar como os modelos da Kia evoluíram muito nos últimos anos. Desenhados com qualidade, hoje em dia eles causam desejo de compra pelo aspecto visual, antes mesmo de se analisarem outros fatores. Interessante é observar que o grupo Hyundai-Kia é uma empresa só, que divide entre as marcas a maioria de suas plataformas e muitos de seus componentes, mas os departamentos de estilo trabalham separados e com filosofias de estilo bem diferentes, a tal ponto que deixam a impressão de empresas totalmente independentes.

À Hyundai coube a tarefa de fazer desenhos mais ousados, que em alguns casos chegam à beira do exagero, e à Kia estilos um pouco mais sóbrios. Dessa forma o grupo amplia suas vendas, por oferecer modelos que atendem ao gosto tanto do consumidor que dá preferência a modelos diferenciados como daquele que prefere algo mais conservador. Outro ponto a respeito da filosofia de estilo de cada uma é que as formas são mais arredondadas, com detalhes e vincos pronunciados na Hyundai, enquanto a Kia adota linhas angulosas e um pouco mais limpas, mas ambas dão uma personalidade jovial a todos os modelos. Continua

Clique para ampliar a imagem

1) Note como os retrovisores são bem altos. O provável motivo é que, tendo os Estados Unidos como um importante mercado, a Kia definiu lentes grandes para manter bom campo visual mesmo com espelho plano no lado esquerdo. E a impressão visual fica aumentada por causa da linha de cintura abaixar bem na região logo abaixo dos espelhos.

2) Mais um caso de uso de refletores comuns em faróis, mas que, com distribuição dos elementos em harmonia, tamanho dos faróis adequado e contornos simples e bem feitos, não prejudica nem um pouco a boa aparência frontal do modelo.

3) Os contornos das aberturas são simples e muito bem proporcionados. Note como a inclinação da parte superior está em harmonia com a inclinação dos faróis.

Clique para ampliar a imagem

1) Muitas vezes são buscadas soluções ousadas para o contorno do vidro da janela traseira. Essa é a prova de que a simplicidade também pode ser bonita.

2) Mais uma das soluções não triviais. Enquanto muitos usam o recurso do “pegador de luz”, descrito em análises anteriores, a ideia de usar esse detalhe rebaixado, além de “quebrar” visualmente a área grande da lateral, trouxe leveza visual pela sombra que se forma nessa região.

3) Rodas de diâmetros adequados ao tamanho do carro e suspensão não muito elevada ajudam no estilo esportivo. No Cerato, isso é obtido nas versões que usam rodas de 16 e 17 pol, na ordem. Contudo, no acabamento básico as rodas de 15 pol parecem pequenas para o conjunto.

Clique para ampliar a imagem 1) Na foto ao lado: o detalhe na cor preta diminui visualmente o tamanho do para-choque, permitindo que ele tenha as linhas simples, para combinar com toda a simplicidade das formas do modelo e manter a harmonia. É discreto e dá um toque de esportividade.

2) O vinco demarca uma dobra que está bem alinhada com a lateral e o para-choque frontal. Essa dobra é usada para criar uma sombra e aliviar um pouco a sensação de uma carroceria muito volumosa na parte inferior, causando a impressão de leveza.

3) A linha de corte do para-lama com o para-choque está alinhada com o detalhe interno da lanterna e com o defletor integrado à tampa do porta-malas. Também está alinhado com o vinco do para-choque traseiro, mostrando que o cuidado chegou aos detalhes.
 

Atualidades - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 8/2/11

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados - Política de privacidade